Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Adidas vai transformar plástico dos oceanos em 11 milhões de sapatilhas

por Mäyjo, em 01.04.19
A marca começou a fabricar modelos com este tipo de material em 2017 mas agora pretende duplicar a produção.
Desde 2017 que vende sapatilhas com plástico reciclado.

Desde 2017 que a Adidas se virou para a moda sustentável com a criação de modelos de sapatilhas feitos a partir de plástico com origem nos oceanos. Esta semana, a marca alemã anunciou que quer duplicar essa produção e tem a meta de conseguir 11 milhões de pares durante 2019.

Segundo o “Diário de Notícias”, Eric Liedtke, membro do conselho executivo da Adidas, revelou que esta é uma medida que vai de encontro aos consumidores que se mostram mais preocupados com as questões ambientais e com o que compram.

Nos últimos dois anos, a Adidas vendeu seis milhões de sapatilhas produzidas a partir de plástico. Desde 2016 que a marca trabalha em colaboração com a Parley for the Oceans, uma organização ambientalista não governamental e sem fins lucrativos.

Há mesmo uma linha da marca criada com este movimento. Aqui encontra T-shirts a partir de 24,95€, fatos de banho desde 34,95€ ou sapatilhas a partir de 111,95€.

Outro dos objetivos é que até 2024 todo o plástico usado nos seus produtos provenha da reciclagem. Cada sapatilha chega a precisar de, por exemplo, 11 garrafas para estar concluída.

Atualmente, a Adidas tem mais de 800 sapatilhas a partir de 27,48€.

 

Via: nit.pt

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:50

Este natal faça magia: transforme embalagens usadas em novos objetos

por Mäyjo, em 06.12.17

A magia do Natal está nos pequenos gestos que fazem a diferença e, por isso, a Sociedade Ponto Verde quer mostrar aos portugueses que reciclar, nesta época em que há uma grande produção de resíduos, é um gesto tão encantador que pode até transformar as embalagens usadas em presentes.

 

É esta a magia da nova campanha de Natal que a Sociedade Ponto Verde lançou a 1 de Dezembro, e que pretende sensibilizar os portugueses para a importância de continuarem a separar as embalagens, também nesta época festiva – na noite de natal, na passagem de ano (em casa ou na rua), nas trocas de prendas, nas festas do escritório ou nos jantares com amigos, o foco é (re)descobrir a magia de reciclar. É mais uma época do ano onde a “Reciclagem, Sempre!” deve estar presente no quotidiano dos portugueses, já que, com todo o consumo e eventos que fazem parte da época natalícia, a separação dos resíduos não deve ficar de lado em momento algum.

Segundo o Director-geral da SPV, Luís Veiga Martins: “A nova campanha de sensibilização da SPV tem por objetivo despertar os portugueses para a magia da reciclagem, neste Natal e em todos os dias do ano, quer seja fora ou dentro de casa, levando-os a mudar as suas atitudes e comportamentos, no que diz respeito à separação de embalagens. “

Intitulada de “No Natal descobre a magia de reciclar”, a campanha vem ajudar os portugueses a separar, ao facultar sacos de reciclagem com as cores de cada ecoponto – verde, azul e amarelo – disponíveis no site da campanha, em acções locais, em empresas e mupis, para que possam ter à disposição os recursos certos de acordo com cada resíduo. A vertente social está associada à acção da Sociedade Ponto Verde: por cada dez posts no Instagram em que seja partilhada uma foto a dar uso aos sacos de reciclagem com a hashtag #aMagiaDeReciclar, a SPV vai oferecer presentes a crianças de várias instituições.

 

Foto: SPV

 

Via Green Savers

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 06:18

PILHAS A MAIS AÍ POR CASA? ELAS PODEM AJUDAR A EQUIPAR O IPO

por Mäyjo, em 23.11.17

Tem pilhas e baterias usadas em casa? A Ecopilhas tem o destino adequado para que possa contribuir para preservar o ambiente ao mesmo tempo que ajuda o Instituto Português de Oncologia (IPO). Pelo 9º ano consecutivo, a Ecopilhas, entidade que desde 2002 tem como missão a gestão de um sistema integrado de pilhas e acumuladores usados, lança um peditório nacional de recolha deste tipo de resíduos, que decorrerá até 31 de Dezembro.

 

Para contribuir para esta campanha de solidariedade, basta colocar as pilhas e baterias que já não funcionam e que foram anteriormente usadas em brinquedos, telecomandos, computadores portáteis, telemóveis, relógios entre outros aparelhos, num dos mais de 20.000 Pilhões existentes em todo o País ou junto dos parceiros aderentes da campanha: lojas da MultiOpticas, lojas do Meu Super ou sucursais do Millennium BCP.

 O apresentador José Carlos Malato junta-se uma vez mais a esta iniciativa, sendo o rosto da campanha de sensibilização para a recolha de pilhas e baterias usadas a favor do IPO de Lisboa. É com muito gosto que nos últimos anos me tenho associado a esta campanha da Ecopilhas que, para além do cariz solidário, permite contribuir para um ambiente melhor”, refere José Carlos Malato, embaixador da campanha.

Ao entregar as pilhas e baterias usadas, estará a contribuir para ajudar o IPO de Lisboa na aquisição de um equipamento cirúrgico para o bloco operatório.

Eurico Cordeiro, Diretor Geral da Ecopilhas, deixa um apelo à participação massiva no 9º Peditório: “Basta um pequeno gesto para fazer a diferença. Por isso, contamos com a ajuda de todos para contribuir para o sucesso desta campanha e aumentar a reciclagem de pilhas e baterias, muitas das quais contêm metais pesados, muito perigosos para o ambiente, pelo que é fundamental dar-lhes um destino adequado”.

Desde 2009, ano em que teve início o primeiro Peditório de Pilhas e Baterias a favor da luta contra o cancro, a Ecopilhas recolheu mais de 32,3 milhões de Pilhas e Baterias usadas, o que tem permitido a doação anual de um aparelho de tratamento ou diagnóstico ao IPO de Lisboa.

Foto: Anna Almeida / flickr 

 

Via: Greensavers

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:49

RECICLAGEM, SEMPRE!

por Mäyjo, em 17.07.17

Ecopontos

Durante o Nos Alive, a Sociedade Ponto Verde (SPV) colocou mais de 500 ecopontos espalhados pelo recinto e procurou incentivar os festivaleiros com mensagens do tipo: “Mostra que o teu lado reciclador está bem ALIVE”. Não foi a única iniciativa da Sociedade durante o festival, como poderá ler aqui,mas foi uma das mais importantes para o objectivo final de convencer os portugueses a manter os seus hábitos de reciclagem em qualquer situação.

 

“Esta foi uma das acções que o NOS Alive recebeu na primeira activação da campanha de sensibilização “Reciclagem, Sempre!”, lançada pela Sociedade Ponto Verde. A campanha tem por objectivo incentivar os portugueses a manter os seus hábitos de reciclagem em qualquer contexto. Além dos hábitos de reciclagem que parecem estar cada vez mais incutidos na sociedade portuguesa – 7 em cada 10 lares já recicla –  importa agora que essa prática não seja descurada sempre que os portugueses saiam de casa ou mudem de rotina, como por exemplo, numa ida à praia, num piquenique, num jardim, numa corrida ou num festival. A “Reciclagem, Sempre!” é um apelo para que todos os portugueses façam a separação das embalagens, independentemente do local onde se encontrem”, refere a organização em comunicado.

Recorde-se que a  Sociedade Ponto Verde é uma instituição privada, mas sem fins lucrativos, cuja missão passa por organizar e gerir os resíduos de embalagens, e também promover a sensibilização e educação ambiental junto dos portugueses. As suas acções tiveram um papel importante para Portugal atingir esta meta de 7 em cada 10 lares reciclarem os seus resíduos. Como infelizmente não acontece o mesmo quando os portugueses saem de casa, algo bastante frequente sobretudo nesta altura do ano, a mensagem fundamental da SPV é agora a de promover estas boas práticas em todos os lugares. 

No Nos Alive, fosse pelas mensagens motivadoras ou pela proximidade constante de um ecoponto, “o objectivo de garantir que festivaleiros podiam colocar os resíduos no local correto foi assegurado”.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 06:23

PAPEL USADO PODE SER TRANSFORMADO EM FLUIDO LÍQUIDO PARA ISQUEIRO MAIS SUSTENTÁVEL

por Mäyjo, em 30.06.17

jornais_SAPO

Os fluidos líquidos são úteis para recarregar isqueiros ou ajudar a acender um churrasco, mas não são o produto mais ecológico do mundo. Pelo contrário: ele é feito de petróleo e liberta gases tóxicos ao queimar.

 

Para contornar este problema, uma equipa de cientistas de Hong Kong e da Hungria está a desenvolver o que pode ser uma solução mais verde: um fluido líquido limpo feito de papel usado e sem utilidade.

Liderados por István T. Horváth, da City University de Hong Kong, os pesquisadores começaram por usar papel usado e papel de jornal, utilizando ácido sulfúrico como um catalisador e convertendo-o em ácido levulínico e ácido fórmico. Estes, por sua vez, são transformados num composto conhecido como gama- valerolactona (GVL).

Segundo o Gizmag, a GVL pura não cria fumos tóxicos – quando foi usada como combustível em lâmpadas, durante horas numa pequena sala, não criou fumo ou odores. Ao contrário, por exemplo, das lâmpadas a querosene, que são muito usadas nos países em desenvolvimento e são uma das principais fontes de problemas de saúde.

E sim, o GVL também é um acelerador de fogo eficaz quando adicionado ao carvão. Embora funcione muito lentamente na sua forma pura, ele pode inflamar o carvão dentro de poucos segundos, se combinado com o etanol. Em testes de laboratório, verificou-se que uma mistura inflamada de 90% de GVL e 10% de etanol libertou 15% menos compostos orgânicos voláteis que os fluidos líquidos mais tradicionais.

A descoberta foi publicada no jornal ACS Sustainable Chemistry & Engineering.

Foto: Matti Mattila / Creative Commons

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:33

Sapatilhas sustentáveis

por Mäyjo, em 13.06.17

foto_1ADIDAS CRIOU SAPATILHAS FEITAS COM LIXO OCEÂNICO E REDES DE PESCA ILEGAIS 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:07

NIMBUS ECO: O PAPEL HIGIÉNICO ECOLÓGICO FEITO DE BAMBU E AÇÚCAR DE CANA

por Mäyjo, em 11.03.17

papel-higienico

Recentes estatísticas indicam que em média, cada norte-americano utiliza 23,6 rolos de papel higiénico por ano, o que resulta em graves perigos e danos para o ambiente. Agora imagine a quantidade de árvores que são necessárias para fabricar papel higiénico para toda a população mundial.

 

Tal como as lâmpadas incandescentes estão a ser progressivamente substituídas pelas lâmpadas economizadoras, também o papel higiénico feito à custa das árvores deveria ser substituído por uma alternativa mais sustentável. É exactamente esta alternativa mais ecológica que o Nimbus Eco propõe.

Nimbus Eco é uma marca que fabrica vários produtos de papel. Um deles é o papel higiénico produzido a partir de bambu e açúcar de cana, que foi apresentado na edição deste ano do festival de música Coachella, na Califórnia. Mark Samuels e Josh Askin, os fundadores da marca, passaram meses a testar várias formas alternativas ao papel produzido a partir das árvores, até que chegaram à combinação de bambu com açúcar de cana. O bambu confere resistência ao papel e o açúcar suavidade. Adicionalmente, o bambu é uma das plantas que cresce mais rápido e o açúcar de cana é um bioproduto que resulta da extracção do açúcar das canas.

Tanto o bambu como o açúcar de cana utilizados são cultivados manualmente para ajudar a reduzir as emissões de dióxido de carbono. A marca disponibiliza embalagem de três tamanhos, tanto par uso doméstico como para uso em espaços públicos.

Segundo os criadores da marca, se cada habitante dos Estados Unidos substituísse apenas um rolo de papel convencional por um Nimbus Eco era possível salvar cerca de 470 mil árvores por ano. A marca oferece ainda outros produtos ecológicos de papel, como guardanapos, toalhas de mão e pratos de papel.

Foto: via Creative Commons 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:38

Como fazer um Carnaval mais sustentável

por Mäyjo, em 27.02.17

carnaval

Todas as ocasiões são boas para reciclar, mas há alturas mais especiais do que outras: o Carnaval pode ser um bom exemplo disso. Conheça as dicas da Sociedade Ponto Verde para este Carnaval, e junte o útil ao agradável e aprenda a reciclar no Carnaval. 

 

1- Em altura de festas os mais pequenos acabam sempre por receber aquele presente que tanto desejam e o Carnaval não é excepção. Sempre que oferecer presentes aos mais novos ensine-os a colocar as embalagens no sítio certo. Se estas forem de cartão, utilizem o ecoponto azul.

2- Se precisa de uma ideia para compor o fato de carnaval, as embalagens de detergente da roupa podem dar excelentes chapéus. Por isso ponha a imaginação a funcionar e prime pela originalidade. Não se esqueça que depois deve colocar o plástico no ecoponto amarelo.

3- Fazer um fato de carnaval pode ser um desafio, mas com a ajuda de um bom tubo de cola tudo pode ser mais fácil. Depois de vazios, os tubos de cola devem ser colocados no ecoponto amarelo.

4- O fato de carnaval pode ser extraordinário, mas só fica completo com uma boa maquilhagem. Depois da festa tenha todos os cuidados necessários para que a sua pele se mantenha bonita. Coloque os boiões e bisnagas de limpeza da pele no ecoponto amarelo.

5- Festa que é festa acaba por ter champanhe. Quando abrir a garrafa de champanhe para festejar mais um carnaval animado, lembre-se que o brinde só acaba quando colocar a garrafa vazia no ecoponto verde.

6- Quando a festa acabar, não se esqueça de separar as decorações carnavalescas. Coloque as serpentinas e os confetes no ecoponto azul.

Foto: via Creative Commons

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:00

Como reduzir o lixo que produz no seu local de trabalho

por Mäyjo, em 25.02.17

escritorio

Diminuir a quantidade de lixo que produz em sua casa é tão importante como reduzir e reciclar a quantidade de lixo que produz no local de trabalho. Indicamos-lhe aqui 20 dicas para que, em colaboração com os seus colegas, seja possível diminuir o lixo produzido no escritório.

 

20 DICAS PARA REDUZIR O LIXO NO ESCRITÓRIO

1- Criação de uma equipa de prevenção de lixo para pensar em ideias para reduzir o desperdício, consciencializar e motivar os restantes colegas para a mesma causa.

2- Realização de uma auditoria ao lixo produzido – distribuição de sacos vazios para o lixo de uma semana e posterior análise à quantidade de lixo produzida.

3- Depois da auditoria, escolha dos tipos de lixo passíveis de reciclagem.

4- Escolha de produtos reciclados, como o papel.

5- Peça aos fornecedores para deixarem as caixas de cartão dos produtos para que possam ser reutilizadas.

6- Disponibilização de canecas e copos reutilizáveis.

7- Reutilização de embalagens que chegam ao escritório para envio de encomendas e envelopes para a distribuição de documentos internos.

8- Utilização de produtos de limpeza concentrados.

9- Desafie os seus colegas a trazerem um almoço com o mínimo de desperdício, em vez de irem almoçar fora ou comprarem comida embalada.

10- Organização de almoços colectivos.

11- Programe as impressoras para imprimirem frente e verso e sempre com qualidade de rascunho.

12- Fale directamente com os seus colegas para evitar lixo electrónico.

13- Substituição dos cartuchos de impressão descartáveis por recarregáveis e troca de pilhas descartáveis por recarregáveis.

14- Criação de uma brigada para recolher canetas vazias e outros produtos não recicláveis.

15- Criação de um jardim comunitário e de uma estação de compostagem, para saquetas de chá, restos de fruta e borras de café.

16- Doação de mobiliário de escritório sem utilização a instituições.

17- Criação de um local onde os colaboradores da empresa possam devolver o excesso de material de papelaria.

18- Reciclagem de telemóveis, toners e cartuchos de impressora, assim como lâmpadas, para instituições de caridade.

19- Colocação dos ecopontos perto das impressoras e fotocopiadoras.

20- Criação de um ponto de partilha de sacos para reutilização.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:02

PLACAS E CIRCUITOS ELETRÓNICOS QUE GANHAM UMA NOVA VIDA COMO INSETOS

por Mäyjo, em 06.02.17

foto_1

 

Os insetos eletrónicos de Julie Alice Chappell

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:30


Este blog disponibiliza informação com utilidade para quem se interessa por Geografia. Pode também ajudar alunos que por vezes andam por aí desesperados em vésperas de teste, e não só, sem saber o que fazer...

Mais sobre mim

foto do autor


Siga-nos no Facebook

Geografando no Facebook

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Setembro 2019

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D